quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Frida Kahlo, à Revolução! na Usina do Gasômetro = 100 anos de Frida Kahlo

FRIDA KAHLO, à Revolução! de volta à Usina, nesse agosto - sábados e domingos - 20hs! Venham sentir o universo íntimo e revolucionário dessa mulher de força e paixão! 
Ingressos à preços populares: R$ 10,00


Nessa foto - feita por Beatriz Sallet na apresentação de Bento Gonçalves, em junho deste ano - eu e o músico Luciano Alves estamos no exato momento de nosso dueto, quando a Frida canta para exorcizar seu amor! A canção escolhida para este momento foi Paloma Negra, da cantora mexicana, Chavela Vargas. Algumas pessoas, como já aconteceu, podem pensar que é influência do filme de Julie Taymor/Salma Hayek. Ledo engano. O filme é só uma veia, do grande sistema circulatório que nos une à Frida e por isso, é impossível não mencionar a Chavela em nossa trilha, já que ela foi amiga íntima do casal Rivera e cantava músicas típicas da cultura de seu país.

Desde 2008 nossa expedição nesse universo criativo e dolorido de Frida Kahlo vai aprofundando-se um pouco todo dia, enquanto nos inflamos de leituras, filmes, fotos, artigos e todo o tipo de informação que possa nos tirar de um ponto e nos alçar para além...mais próximos dela, dentro do seu mundo exótico e latente.

Para os que gostam de pesquisa ou do simples fato de saber mais - de sentir prazer com as descobertas - segue abaixo dicas de livros e filmes (com algumas observações) que mostram o quanto a Frida é inesgotável, intensa e apaixonante.

B I B L I O G R A F I A

KAHLO, Frida – Suas Fotos – Cosac Naify – 2010
Antes de morrer Diego confiou a dona Dolores Olmedo todo o arquivos pessoal do casal. Ela conservou o arquivo por mais de cinquenta anos e só após o falecimento de dona Dolores ele foi aberto, organizado, catalogado e algumas das imagens do arquivo pessoal da Frida, foram publicadas aqui -  seguindo os seguintes temas principais: Origens, Papai, A Casa Azul, O Corpo Dilacerado, Amores, A Fotografia e Luta Política.
LE CLÉZIO, J.M.G – Diego e Frida – Record - 2010
Este livro me chegou às mãos ontem. Le Clézio ganhou o prêmio Nobel de Literatura em 2008 por seu romance. Acabo de ler o prólogo e penso que esta obra promete. É bom ler uma biografia escrita por um romancista, a narrativa flui versátil e menos lugar comum.
EGGERT, Edla (Org.) – Re Leituras de Frida Kahlo “Por uma estética da diversidade machucada” – Santa Cruz do Sul – Edunisc – 2008
Este foi o livro crucial em nossa pesquisa. Reúne vários olhares sobre a Frida, sua humanidade, sua luta e a forma como ela lia o mundo a sua volta. Foi o segundo livro de nossa pesquisa e essencial, já que dois dos autores são professores de universidades daqui do RS e pudemos estar juntos, conversar e trocar.
MAYAYO, Patrícia – Frida Kahlo Contra El Mito - 2008 –Ed. Ensayos Arte Cátedra, Madrid.
O livro aborda todos os grandes acontecimentos da vida de Frida, sem romanceá-los. Quer desmistificar e tratar da obra plástica de Frida, sem que a "lenda" engula a arte real que a pintora criou! Só conseguimos este em espanhol ( ainda não foi publicado no Brasil).
KAHLO, Frida – Compilação Martha Zamora – Cartas Apaixonadas de Frida Kahlo – José Olympio Editora -1999
Aqui é que a gente se emociona mesmo. Se rasga de dor. Frida escrevia muito e bem. Neste livro há cartas para seus amigos, seus amores, seus médicos, sua família. Cartas escritas com toda a vida, com amor, desejo, força e muita poesia. Além de tudo, ela inventava palavras, misturando o Inglês dos gringos, o Alemão de seu pai, e sua amada língua Mexicana ( Espanhol? Não, eu não falo espanhol. Eu falo Mexicano. Os espanhóis não nos deram nada além da Igreja e do chicote! - Pancho Villa).
KAHLO, Frida – O diário de Frida Kahlo, um auto-retrato íntimo – José Olympio Editora - 1995
Este me foi emprestado por uma amiga e continua comigo. Não sei quando vou devolver, já que está esgoatado na editora e só se consegue usado, por uns R$ 200,00 na Estante Virtual - rede de sebos. É o diário da Frida, com suas dúvidas, pensamentos, desenhos, desabafos. Mais uma mostra do quão bem ela escrevia. O diário é colorido
BURRUS, Cristina – Frida Kahlo “I Paint my Reality” – Thames & Hudson – 1995
É um livro que fala sobre a obra e a vida de Frida. É em inglês, reumido e direto.
KETTENMANN, Andrea – Kahlo Dor e Paixão – Taschen – 1994
Também mescla obra e vida da pintora. Reúne muitas fotos e imagens das pinturas. Mais completo que o inglês.
JAMIS, Rauda – Frida Kahlo – Biografia – Martins Fontes - 1987
É uma biografia romanceada.
HERRERA, Hayden. Frida: una biografia de Frida Kahlo - 1983
A mais documental biografia da pintora. Herrera foi a fundo e fez uma minuciosa pesquisa, colhendo dados, ouvindo amigos, familiares e conhecidos.
Cinema:
TAYMOR, Julie – Frida – 2002
LEDUC, Paul - Frida, Natureza Viva - 1983
EISENSTEIN, Sergei - Que Viva o México - 1931
BERESFORD, Bruce - E estrelando Pancho Villa - 2003

Contribuição especial de André Sidnei Musskopf, teólogo, pesquisador e estudioso da vida e obra de Frida Kahlo – autor do artigo VEADAGENS TEOLÓGICAS, publicado no livro Re Leituras de Frida Kahlo “Por uma estética da diversidade machucada” e de Edla Eggert, professora e pesquisadora na UNISINOS, organizadora do livro citado e autora do artigo A APATIA DE QUEM OLHA: A VIOLÊNCIA NATURALIZADA.

Em 2007 o Instituto Humanitas da Unisinos, reuniu os olhares destes e de outros teólogos na revista do Instituto - número 227. São nove entrevistas: Edla Eggert, Andrè Musskopf, Cláudio Carvalhaes, Vitor Westhelle, Marcella Althaus-Reid, Maria Laura Manrique, Marga Stroher, Haidi Drebes e Cátia Ines Schuh.

Um comentário:

  1. Ok! Obrigado pelo aviso. Agradeço e farei o possível para prestigiá-los em ao menos uma das apresentações. Realmente me apaixonei pela peça e pelo teu trabalho.

    ResponderExcluir