terça-feira, 29 de dezembro de 2015

Frida Kahlo à Revolução! em solo Mexicano



Saímos do México, mas é impossível que ele saia de nós.

As vozes incríveis da música, as guitarras, os requintos, os contrabaixos, o movimento da Plaza Garibaldi, com o vaivém dos mariachis, norteños, bohemios, trios e jarochos; El Rey José Alfredo Gimenéz e as rancheiras clássicas; o Zócalo cercado de murais de Don Diego Rivera, o Monstro, o Construtor, o espetacular niño do México que pintou a linda história do seu povo, lutador e índio...O pulque, o mescal, a tequila, o nopal e as tunas doces; O poeta do nopal, Rockdrigo, morto tragicamente no terrível terremoto de 1985. As pirâmides do princípio de tudo, Teotihuacan, Tepoztlan, no alto da montanha,  quase se transmutando em pássaro-serpente; A colonização dolorida e assassina de Hernán Cortez; A igreja criando verdadeiras obras de arte, com a subjugação dos índios; Uma igreja em cada calle; Incríveis castelos abrigando arte barroca, Tepozotlán, Pueblo Mágico, Virreinato; México espetacular e cruel; O Palácio de Bellas Artes, onde Frida Kahlo, foi velada e que abriga a reprodução criada por Diego, a partir dos esboços do mural “El hombre en la encrucijada” pintado no Rockefeller e destruído por trazer Lênin liderando os trabalhadores. SarahFernando, FernandoSarah, as cantinas, as trajineiras de Xochimilco, a UAM, a Plaza Roja, a Maestria em Estudios de la Mujer, Eli Bartra, John e algumas sangritas, as comidas....Aahhhhh, as comidas, os tacos, a pimenta, os huevos, feijões, guaca, e sem fins de sabores. E Coyoacán à tarde com Lu e Javier cantando Bob Dylan na praça; à noite, pela madrugada singrando suas ruas e compondo canções com o Lu, o Eric, a Márcia...Um terraço de Mel e Ágatha em Coyoacán, a luz de Coyoacán, com os brasileiros, em Coyoacán. Alvoroço em Coyoacán. Frida profunda, num país onde o teor machista impera. É difícil pras mulheres engolirem a Frida e pros homens um chiquito más. Lesbiana, comunista, atéia, artista, mulher, com sua arte estampando a nota de 500 pesos. A Casa Azul, As casas gêmeas em San Angel, os amigos do Hotel, a Guatemala, flor da Centroamérica, nossa família que vive lá! O Balcón Huasteca, o Trio Chipontepec, a Olga, o maíz, o povo mexicano, o Cantinflas, o Zapata, o Pancho Villa, quantos gritos campesinos, quanta dor! O bosque Chapultepec, o Museu Mural, vários sonhos na Alameda Central, as cervejas saborosas, as catrinas estonteantes . A história trágica das mulheres do norte, milhares desaparecem, como se nunca tivessem existido, não há justiça. Só silêncio e medo. A história de Marisela Escobedo e Rubi Escobedo e tantas outras. Ofélia Medina, Maestra solidária e engajada! Diva! La Condessa! Rosa! Roma! Nossos lares em Chabacano, Revillagijedo, Calzada Guadalupe!O Museo Nacional de Artes, com seu monumental acervo, o auditório que abrigou nossa derradeira apresentação em solo mexicano, Calle Tacuba. Plaza Polanco, IBC, uma ilha brasileira no México, que abriga cursos e eventos especiais, apresentação com a presença de muitos mexicanos amantes do portugês; Maggie, Marcia, e uma irmandade que nunca vai se quebrar. México, onde estive milhares de vezes através dos livros e filmes, através da Frida, do Diego, da Chavela Vargas, da Lila Downs, do Trio Los Panchos, do Chaves. Esse mês rasgante, emocionante, vibrante, está na garganta, nas paisagens, na alegria que trouxemos na pele. | por Juçara Gaspar

quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

Frida Kahlo, à Revolução! por Lucca Curtolo








Do livro FRIDA KAHLO: UNA VIDA ABIERTA de Raquel Tibol

"Podría pensarse que su retrato recurrente fue la expresión de la angustia o la frustración; pero en verdad Frida Kahlo acudió al asunto de su tragedia por serle el más conocido, el más entrañable, el obsesivo. A través de él o por su intermedio estampó en más o menoscien telas, casi todas de tamaño reducido, su afirmación vital, su pujanza, la finísima amplitud de su imaginación"

segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

FRIDA KAHLO, à Revolução! | Porto Verão Alegre 2016

Frida Kahlo, à Revolução! no Porto Verão Alegre 2016!
Dias 22, 23 e 24 de janeiro – 21h
Teatro do Centro Histórico e Cultural da Santa Casa



Ingressos à venda
No Teatro: R$30 inteira
R$24 Clube ZH e Banricompras
R$15 idoso e estudante 

Ingressos antecipados
R$20 Clube ZH e Banricompras

R$15 idoso e estudante
Confira os postos de venda e maiores informações:www.portoveraoalegre.com.br/

Frida Kahlo, à Revolução!
É inspirada livremente na vida e obra da maior pintora mexicana de todos os tempos, com texto baseado em sua escrita apaixonada, revolucionária e imprescindível, que desvela a maquiagem espessa com a qual os modismos tentaram torná-la, a si e a sua obra palatáveis. É a própria Frida que nos conduz por esta redescoberta ética e estética, da arte como denúncia solidária e solitária, possível através da mágica que é o fazer teatral. No palco a dramaturgia concentra-se nos aspectos humanos dessa exuberante personagem real para construir um espetáculo que faça emergir o que pode transcender a condição de mito.

Direção: Daniel Colin
Atuação e Dramaturgia: Juçara Gaspar
Trilha Sonora AO VIVO: Luciano Alves
Criação Luz: Carol Zimmer
Cenografia: Lara Coletti
Figurinos: Rô Cortinhas
Preparação/Corpo: Daniele Zill
Produção: Mulheragem: Juçara Gaspar e Lara Coletti
laracoletti@gmail.com

FESTIVAL PORTO VERÃO ALEGRE 17 ANOS!!!!

Apoio!
Gráfica Vida Mais (51) 3228-5599
Enfotaria | fotoprodutos bacanas
Cia de Arte

Fotos Divulgação Frida Kahlo à Revolução por Lucca Curtollo

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Frida Kahlo à Revolução! em São Paulo/SP!

Foto Adriana Marchiori
Frida Kahlo, à Revolução! em São Paulo!

Acessa o evento aqui e convida teus camaradas!