sábado, 5 de junho de 2010

La Llorona

ONTEM eu e o Lu lemos sobre a lenda de La Llorona. A canção de Chavela Vargas foi inspirada no folclore mexicano dessa mulher que vagava pelas noites do México, sempre a chorar. Em Algumas versões dessa lenda, que é a mais conhecida no país da Frida, consta que uma tragédia aconteceu na vida dessa bela mulher que tanto chora: ela teria sido abandonada pelo homem que amava e no desespero matou os dois filhos. Como castigo, vaga sem destino. Sempre à noite. Sempre aos prantos.
Reza essa mesma lenda, que quando La Llorona consegue carona de um viajante desavisado, prontamente, inicia um jogo de sedução com o respectivo. Se ele cede aos seus encantos, ela o mata. Se não, apenas o fere. Sua vingança continua a cada noite como se visse o seu amado em cada homem que encontra e todo o sofrimento do abandono viesse à tona!

La Llorona - Chavela Vargas

Todos me dicen el negro, Llorona
Negro pero cariñoso.
Todos me dicen el negro, Llorona
Negro pero cariñoso.
Yo soy como el chile verde, Llorona
Picante pero sabroso.
Yo soy como el chile verde, Llorona
Picante pero sabroso.
Ay de mí, Llorona Llorona,
Llorona, llévame al río
Tápame con tu rebozo, Llorona
Porque me muero de frió
Si porque te quiero quieres, Llorona
Quieres que te quieres más
Si ya te he dado la vida, Llorona
¿Qué mas quieres?
¿Quieres más?

Nenhum comentário:

Postar um comentário